top of page
Buscar
  • Foto do escritorMariana Faria

A Nova Lei de Licitações: Modernização e Desafios



Por: Rodrigo Figueiredo

 

A nova Lei de Licitações (Lei nº 14.133/2021) foi criada com o objetivo de modernizar e aprimorar o processo de contratação pública no Brasil. A legislação anterior, composta pelas Leis 8.666/93, 10.520/02 e 12.462/11, já não atendia adequadamente às necessidades contemporâneas de eficiência, transparência e competitividade nas contratações públicas. A nova lei busca reduzir a burocracia, aumentar a agilidade e eficiência dos processos licitatórios, e promover uma competição justa entre os licitantes.

 

Principais pontos da nova lei

A Lei nº 14.133/2021 trouxe várias mudanças significativas, entre as quais se destacam:

 

1. Criação do Portal Nacional de Contratações Públicas (PNCP): centraliza e dá transparência aos processos licitatórios.

2. Critério de julgamento por melhor técnica ou técnica e preço: visa selecionar propostas com maior valor agregado.

3. Contratação integrada para obras e serviços de engenharia: permite um processo mais ágil e eficiente.

4. Simplificação dos procedimentos licitatórios: torna os processos menos burocráticos.

5. Inversão de fases como regra geral: a classificação e julgamento das propostas ocorrem antes da habilitação.

6. Exclusão das modalidades de carta-convite e tomada de preços: introdução do diálogo competitivo, que amplia as possibilidades de negociação.

 

Benefícios e desafios

Benefícios:

- Redução da burocracia: Procedimentos mais simples e ágeis.

- Maior competitividade: Ampliação da participação de pequenas e médias empresas.

- Fortalecimento do controle e fiscalização: Mecanismos mais robustos para garantir a integridade dos processos.

 

Desafios:

- Capacitação dos agentes públicos: Necessidade de formação adequada para os gestores e servidores.

- Adequação dos sistemas de controle interno: Atualização e adaptação dos mecanismos internos de fiscalização.

 

Abrangência e público-alvo

A nova lei se aplica às Administrações Públicas diretas, autárquicas e fundacionais da União, Estados, Distrito Federal e Municípios, além dos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário da União, dos Estados e do Distrito Federal, e órgãos do Poder Legislativo dos Municípios quando no desempenho de função administrativa. Também abrange fundos especiais e demais entidades controladas pela Administração Pública, direta ou indiretamente. Importante destacar que a lei não se aplica às empresas públicas e sociedades de economia mista, que são regidas pela Lei nº 13.303/2016.

 

Prazo para adaptação

A nova lei entrou em vigor em 1º de abril de 2021, mas a revogação das normas anteriores só ocorreu em 30 de dezembro de 2023, proporcionando um período de adaptação de mais de dois anos. Esse prazo foi estabelecido para permitir a formação e capacitação dos gestores e servidores públicos, bem como para a adequação dos sistemas de controle interno e a familiarização do público em geral com as novas regras.

 

Concluindo...

A implementação efetiva da nova Lei de Licitações exige mais do que a simples observância formal dos novos regulamentos. É necessária uma mudança cultural no setor público para garantir uma gestão mais eficiente e transparente dos recursos públicos. A nova lei representa um avanço significativo na modernização das contratações públicas no Brasil, mas seu sucesso depende da capacidade dos órgãos públicos de se adaptarem e incorporarem as melhores práticas de gestão e controle.


1 visualização0 comentário

Коментарі


Post: Blog2 Post
bottom of page